quarta-feira, 6 de abril de 2011

...


Tomados de assalto
Entregamos o nosso coração
Em mãos aprisionadas
Que egoístas só nelas pensam
Vasculham a nossa alma
Em busca de nossos bens maiores
Roubam-nos a essência...
E o que de mais íntimo encontram
Levam junto a nossa inocência
Deixam feridas que não cicatrizam
E sangram quando nelas outros tocam
Marcam a ferro o espírito que chora
Sobrevivendo a sina que o tempo devora
Os olhos tristes que tudo revelam
Guardam neles toda a história
Que ao fecharem-se tentam esquecer
Ergue a cabeça e na vida avança
Inspirando no âmago a fé e a esperança
Redescobre as vivências para amadurecer
Impulsionando o resgate do viver
Retoma no mundo a sua trajetória
Em prol do que chamam... Um novo Ser!


Tatiana Moreira



“Em cada novo ciclo de empreendimentos carnais, acreditamos muito mais em nossas tendências inferiores do passado, que nas possibilidades divinas do presente, complicando sempre o futuro. E’ desse modo que prosseguimos, agarrados ao mal e esquecidos do bem, chegando, por vezes ao disparate de interpretar dificuldades com punições, quando todo obstáculo traduz oportunidade verdadeiramente preciosa aos que já tenham “olhos de ver”.”*


 *Trecho retirado do livro: Os Mensageiros.



Um beijo carinhoso aos meus amigos que passam por aqui...