segunda-feira, 1 de abril de 2013

Ao que fomos...





Reservei-me calada por alguns minutos frente o dia que estava começando. Dentro desse silêncio, deixei apenas o pulsar do coração reverenciar tudo o que fomos. Não autorizei a entrada de palavras doídas nessa cerimônia.
 Daqui pra frente e para além de, somente as palavras dadivosas residem. Somente essa lembrança bonita que perfuma meus pensamentos toda vez que penso em você. Somente a beleza do encontro que entrelaçou a alma e tatuou em nossas vidas: milagre.
Ao contemplar o céu percebi uma pintura diferente e todas as cores me lembraram você. Talvez você não saiba (ou não queira compreender), mas a tua chegada trouxe o céu para mais perto. E nesse momento uma palavra escorrega dos olhos, chama-se gratidão. Pelo tudo e pelo todo, pelo sempre e pela completude é que lhe devoto.
Hoje a minha estrada não atravessa mais a sua, a palavra já não mora mais na mesma rua, mas o belo continua aqui, amparado. Os sagrados momentos aqui, eternizados. E a tua presença aqui, no lugar mais bonito que existe em mim.


~ Patrícia Costa ~