sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

...



Confesso que até onde me enxergo,
vejo o teu reflexo como uma desculpa
ainda pra prosseguir, continuar.

Senti muitas coisas inerentes,
viciantes,
embriagantes,
delirantes,
quando você esteve aqui dentro do meu espaço,
do meu altar.
Acho que acabei falando e sentindo demais:
É isso que a alma faz
quando carrega uma bagagem tão cheia de lembranças,
e dentro delas você está.
Continuo com teu reflexo como um espelho
e nele me ajeito,
colocando a vida no lugar.
Onde vejo meu coração,
que por alguma razão
te amando ou não,
insiste em te lembrar.


Sil Guidorizzi.