domingo, 1 de fevereiro de 2015

...





Tudo o que nos invadiu com intensidade,
tudo o que foi realmente verdadeiro
e vivenciado profundamente,
não passa.
Fica.
Acomoda-se dentro da gente,
e de vez em quando cutuca,
se mexe,
nos faz lembrar da sua existência."



(Martha Medeiros)